quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Oficina Música e Rádio SeCom 2011



Nos dias 27 e 28 de outubro de 2011, pela programação da XX Semana de Comunicação da Universidade Federal do Ceará (SeCom UFC), aconteceu a segunda Oficina de Música e Rádio facilitada por Marco Leonel Fukuda. No primeiro dia da oficina, houve uma exposição teórica dos diversos papeis que a música desempenha no rádio, como recurso técnico e estético, como trilha sonora, como tema de matérias jornalísticas e de programas radiofônicos. Em uma apresentação de slides, foram apresentados vários formatos de produtos radiofônicos como notícia, entrevista, reportagem, radiodocumentário, radiodrama, vinhetas, spots. Iniciou-se uma discussão de como a música está inserida na programação de uma rádio, e de como essa mídia tem o som como elemento essencial das suas práticas comunicativas.

O público da oficina era diversificado, com alunos de Comunicação Social (Jornalismo e Publicidade), de Letras, de Jornalismo da Terra (convênio entre a UFC e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST), de Rádio & TV, de Marketing, e de outras instituições como FIC, Fanor, além da própria UFC. Muitos dos participantes já tinham experiência de ouvir rádio em casa, um hábito ligado às suas memórias afetivas e a discussão em torno da música no rádio foi bastante enriquecedora.




No segundo dia da oficina, os participantes puderam aplicar os conceitos e os conteúdos apresentados no primeiro dia. Todos tiveram uma experiência prática de elaborar um roteiro, produzir coletivamente, gravar e começar a editar um programa musical de rádio. A cada participante foi dada a tarefa de pesquisar e escolher uma música para levar no dia da gravação do programa. Os participantes teriam de trazer o título da música escolhida, os compositores e intérpretes para também anunciarem essas informações, e terem também uma prática de locução, do uso profissional da voz no rádio. Cada um elaborou um texto curto, na forma de um comentário radiofônico, para apresentar as informações a um ouvinte e introduzi-lo, prepará-lo para a apreciação, para a experiência da escuta. Nessa atividade prática, os participantes puderam uma noção geral de todas as etapas para se fazer um programa musical de rádio, desde a produção, discutindo o roteiro, a parte conceitual, o possível público-alvo, passando pela gravação, a edição e a montagem, até a veiculação, que hoje em dia está a toda na Internet, a exemplo dos trabalhos de rádio postados em podcasts como os do Blog Cultura Ciliar.




Ouça o programa produzido na segunda oficina de Música e Rádio, na Semana de Comunicação da UFC:




Ficha Técnica
Programa Paisagem Sonora
Especial Oficina Música e Rádio - 28 de outubro de 2011
Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Fortaleza - Ceará - Brasil
Facilitador: Marco Leonel Fukuda
Participantes e co-produtores do programa:  Aline Oliveira, Amanda Pierroni, Hallison Ferreira, Igres Leandro, Karina Oliveira, Lidianne Macedo, Luciana Leal, Sávio Sousa e Willams Sousa.


Fotos: Fá Babini e Lílian Cunha

Links relacionados
Cultura Ciliar - Oficina Música e Rádio (DESCOM 2011.2)
Semana de Comunicação da UFC 2011
Curso de Comunicação Social da UFC
PETCOM UFC
Radiadora UFC (A rádio experimental dos alunos de Comunicação Social da UFC)
Cultura Ciliar - III DESCOM 
Cultura Ciliar - Programa Paisagem Sonora - 20/05/2011
Cultura Ciliar - Programa Paisagem Sonora - 27/05/2011

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

LIBRAS - Língua Brasileira de Sinais - Entrevista com Gérson de Souza


Os estudantes de Jornalismo Catherine Santos e Marco Leonel Fukuda entrevistaram o secretário do curso de Letras-Libras (UFC/UFSC) Gérson de Souza. Na entrevista, Gérson fala sobre o curso de extensão em Libras da Universidade Federal do Ceará, o universo da Língua Brasileira de Sinais e as ações de acessibilidade e educação inclusiva na UFC voltadas para os surdos. O público do curso de extensão em Libras é diversificado, que vai desde estudantes de Pedagogia, de Educação Física, Letras, Música a estudantes das licenciaturas de Matemática, Física, e pessoas da comunidade em geral. O estudo em Libras pode se tornar uma ferramenta importante na formação profissional dos universitários, que poderão aplicar esses conhecimentos na sua carreira e no mercado de trabalho.






Ouça a entrevista com Gérson de Souza (duração: 11'17''):




A entrevista com o secretário do curso de Letras-Libras UFC/UFSC Gérson de Souza é uma atividade didática da disciplina de Radiojornalismo 1, do 4º semestre de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará, sob a orientação do Professor Nonato Lima.

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo


Fotos (via buscador Google): www.libras.com.br
                                             www.vidaemcristo.wordpress.com

Biblioteca Comunitária do Benfica e da Gentilândia



Ouça a seguir a reportagem de Marco Leonel Fukuda sobre a Biblioteca Comunitária do Benfica e da Gentilândia, projeto de extensão do curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Ceará (UFC). A estudante do 3º semestre de Biblioteconomia e bolsista do projeto Sara Suyane fala sobre a proposta da Biblioteca Comunitária de se tornar um espaço de convivência e de preservação da memória desses dois bairros tradicionais de Fortaleza. "A inteligência, o conhecimento, a convivência dos moradores eles são informação. Informação tão importante quanto as que contêm em livros", disse a bolsista.




A Biblioteca Comunitária do Benfica e da Gentilândia funciona no segundo andar do prédio compartilhado pelos cursos de Biblioteconomia e Psicologia, no Centro de Humanidades Área 2 da UFC, no Campus Benfica. Assim como o setor de Reserva Técnica da Biblioteca de Ciências Humanas da UFC, a Biblioteca Comunitária também recebe doações de livros, gibis, cordeis, fotografias, principalmente se forem relacionados à história do Benfica, da Gentilândia e da capital cearense.


A reportagem sobre a Biblioteca Comunitária do Benfica e da Gentilândia é uma atividade didática da disciplina de Radiojornalismo 1, do 4º semestre de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC), sob a orientação do Professor Nonato Lima.


Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

Fotos: www.oficinadoparque.org
          www.peregrinacultural.wordpress.com

sábado, 17 de setembro de 2011

Banaína, a nova bebida da cultura cearense

Fonte: www.docespontinhos.com
"Banana é o pau que rola", esse é um ditado popular antigo, para se referir à banana como algo trivial, comum, uma fruta acessível, barata, que se planta praticamente em qualquer lugar, "que faz é lama", citando mais uma gíria do linguajar cearense. Banana é uma fruta que está presente desde a região do Maciço de Baturité, próxima à serra de Guaramiranga até às brenhas da América Latina, descritas nas obras literárias de escritores como Gabriel García Márquez. Comentei com a Camila Mont'Alverne, minha colega de sala no curso de Jornalismo da UFC e colaboradora do site A Preço de Banana, que, por exemplo, no Japão (terra da minha família paterna) banana, assim como manga e outras frutas tropicais são extremamente caras, utilizadas até para dar presentes, e o referencial de "a preço de banana" muda radicalmente.
Fonte: www.sociedadeblog.blogspot.com
Pois bem, um belo dia, recentemente, dona Junia volta do trabalho de campo no interior, e traz três garrafas de suco de banana clarificado. Aqui em casa, todo mundo achou curioso o conteúdo dessas garrafas vindas de Pacajus. Suco de banana, como era possível?

Foto: Marco Leonel Fukuda
 Já tínhamos experimentado banana em outros formatos: doce de banana, bananada (que aqui no Ceará, não é o doce de banana como se chama no centro-sul do Brasil, mas a vitamina feita no liquidificador), banana caramelizada, banana no meio da comida do almoço (aquele toque agridoce), banana no café-da-manhã, na merenda. Mas o suco de banana clarificado era algo inédito para nós. Colocamos na geladeira para resfriar e, em seguida, experimentarmos a exótica bebida. Provamos e tinha gosto, pra quem se lembra, daquelas antigas balas chitas de banana (ou bombons, na fala cearense), mas no estado líquido. É um suco saboroso e tem gosto de infância.

Decidi chamar a bebida de banaína, para comparar com o mesmo sufixo do nome da cajuína, que é o suco de caju também clarificado, bebida homenageada por Caetano Veloso e devidamente incorporada à nossa cultura nordestina, cearense. A banaína é mais um produto derivado dessa fruta tão presente no nosso cotidiano. É um alimento tão nutritivo que se transfigura, que muda de estado físico, para, assim como a sua prima cajuína, se tornar atrativa para o paladar dos cearenses e parte da cultura brasileira, um patrimônio nacional.

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

Como funcionam as falsas notícias (legendado)

Vídeo legendado sobre a produção de falsas notícias, ou sobre as influências negativas das assessorias de imprensa ou setores de comunicação de grandes conglomerados empresariais sobre a programação televisiva. Em muitos casos, as emissoras de televisão negligenciam a realização de um trabalho consistente na técnica e na ética de apuração jornalística, de produção de pauta, para transmitir conteúdos previamente combinados pelos press-releases oriundos de anunciantes. É uma trama midiática de interesses comerciais, que prejudicam bastante a independência editorial dos veículos de comunicação e a crebilidade desses meios diante do público.

Esse vídeo foi apresentado no seminário que teve como tema o "Jornalismo Mentira" ou fraudes na atividade jornalística na disciplina de Ética e Legislação em Jornalismo, orientação da professora Mônica Mourão, no curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC). O seminário foi apresentado no primeiro semestre de 2011 pelos alunos Catherine Santos, Paulo Jefferson, Marco Leonel Fukuda, Renata Nunes e Rosana Reis.


O filme original - How the fake news works - UpDoc Films:
http://www.youtube.com/watch?v=UMIh4yucVUc

Tradução e Legendas: Marco Leonel Fukuda
Blog Cultura Ciliar (www.culturaciliar.blogspot.com)


Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

sábado, 3 de setembro de 2011

Oficina Música e Rádio

Turma de Música e Rádio da IV DESCOM - 2011.2

No começo do mês de agosto, a Oficina de Música e Rádio fez parte da programação da 4ª Semana de Descomunicação, promovida pelo Programa de Educação Tutorial do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (PETCOM-UFC). A oficina teve dois dias de duração, entre os dias 3 e 4 de agosto de 2011.

Música e Rádio - 1º dia

Na manhã do dia 3 de agosto, discutimos a música no rádio e a música para o rádio, por meio de relatos de experiências de extensão no site da Rádio Universitária FM da UFC e também da apreciação de trabalhos de diversos formatos radiofônicos (notícia, entrevista, reportagem, radiodocumentário, radiodrama). Em relação ao site da Universitária FM, falamos sobre a seção Artista da Semana (entrevistas especiais com músicos cearenses), a cobertura da VIII Semana de Humanidades UFC/UECE, o Programa Brasil Novos Sons, as notícias da programação cultural de Fortaleza. Reservamos um tempo para apresentar o trabalho de criação do novo pacote de vinhetas institucionais da emissora, que completa 30 anos em outubro de 2011. As vinhetas de rádio são um caso de estudo à parte, por serem trabalhos de produção publicitária para rádio, ao mesmo tempo que, seu processo de produção, são discutidas a linha editorial e a identidade sonora de uma emissora de rádio, assuntos caros ao jornalismo.

O rádio é a mídia em que o som é o protagonista, e onde música e comunicação dialogam de forma mais plena. É tanto que a música pode ser tema de matérias produzidas para rádio, uma área de atuação do radialista (discotecário/produtor de programas músicas), e ainda podemos compreender a música como um recurso técnico e estético de rádio, como fundo musical de reportagens, em vinhetas e jingles.

Música e Rádio - 2º dia

Na manhã do dia seguinte, 4 de agosto, fomos ao Estúdio-Laboratório de Rádio da Comunicação Social e tivemos uma experiência prática após todas as discussões teóricas do dia anterior. O desafio era produzir, gravar, editar e montar um programa musical de rádio em 3 horas, para uma edição especial do programa Paisagem Sonora da Radiadora UFC. Cada aluno participante da oficina levou cinco músicas, para escolher duas. Foram orientados a escolher músicas leves, para o horário de uma da tarde, e elaboramos coletivamente um roteiro com a ordem das músicas que tocariam no programa. Cada participante fez a locução anunciando as músicas que escolheu, com informações como título, nomes de compositores e intérpretes, seguidas de breves comentários sobre a música, os artistas, se eram trilhas de novelas, de filmes ou se estavam presentes em um determinado disco. Fizemos a edição e a montagem utilizando os canais de áudio do software Sony Vegas, mostrando como eram os processos de gravação, cortes, equalização de canais, pré-mixagem. Posteriormente, o programa Paisagem Sonora especial da Oficina de Música e Rádio da DESCOM recebeu o acabamento (ou a masterização) no software Sony Sound Forge, para equilibrarmos os volumes das vinhetas de abertura e encerramento com as falas dos alunos-locutores e com as músicas do roteiro do programa.

Foi uma experiência muito interessante de nessa oficina discutir os caminhos de possibilidades de encontro entre a música e a comunicação através do rádio. Os participantes eram, em sua maioria, alunos do 1º ano de Comunicação Social, que não ainda tiveram aulas de rádio na faculdade e que também não são de uma geração que, em geral, cresceu ouvindo rádio em casa. A partir disso, foi oportuna uma reflexão que fizemos de como o rádio renasce na Internet, integrando conteúdos sonoros em plataformas multimídia online. E cabe à nossa geração aprender sobre as experiências que gerações passadas tiveram com o rádio, para ressignificá-las, recriar o rádio, e renovar o seu uso como ferramenta de comunicação.

Disponibilizamos aqui no blog Cultura Ciliar, na íntegra, o programa musical de rádio produzido na Oficina de Música e Rádio da DESCOM:




Ficha técnica
Programa Paisagem Sonora
Especial Oficina Música e Rádio - 4 de agosto de 2011
Curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Fortaleza - Ceará - Brasil
Produção e apresentação: Marco Leonel Fukuda
Colaboradores: Amanda Matos, Andressa Bittencourt, Bárbara George, Francisco Neto, Luana Barros, Patrício Alencar, Rochelly Guimarães e Yuri Rafael.
Fotografia: Andressa Bittencourt, Luana Barros e Márcio Peixoto.


Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo
Facilitador da Oficina de Música e Rádio da IV DESCOM semestre 2011.2

Links Relacionados
Curso de Comunicação Social da UFC
PETCOM UFC
Radiadora UFC (A rádio experimental dos alunos de Comunicação Social da UFC)
Cultura Ciliar - III DESCOM 
Cultura Ciliar - Programa Paisagem Sonora - 20/05/2011
Cultura Ciliar - Programa Paisagem Sonora - 27/05/2011




sábado, 27 de agosto de 2011

Discoteca Básica de Marco Leonel Fukuda no site A Preço de Banana


Nesta semana, a estudante de Jornalismo Camila Mont'Alverne me entrevistou para o site A Preço de Banana, um dos sites engajados na divulgação da programação cultural acessível em Fortaleza. O A Preço de Banana tem uma atuação consistente na Internet, nas listas de e-mails, nos mailings pessoas e nas redes sociais Twitter e Facebook, para auxiliar os realizadores de cultura em Fortaleza na divulgação de eventos, recitais, shows, peças, performances, lançamentos, mostras, festivais, passeios turísticos, entre outros formatos de programação cultural de várias linguagens artísticas. Além de divulgar a apresentação da última quarta-feira dia 24 de agosto no Auditório do Dragão do Mar, em que fiz uma prévia do meu segundo disco "Jornada", a postagem inclui também uma lista de dez discos importantes para a minha formação. Essa lista de dez discos (Discoteca Básica) foram comentados por mim, e se relacionam com a minha história de vida e a minha trajetória na música.

Cliquem no link e vejam a matéria na íntegra, produzida por Camila Mont'Alverne:
Discoteca Básica de Marco Leonel Fukuda

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo


Vídeos de narrativas do tempo

Esses dois vídeos a seguir contam belas histórias do tempo vivido, de uma técnica narrativa possível no audiovisual de contar vários anos transcorridos em alguns quadros de poucos minutos.

O primeiro é uma publicidade institucional da operadora telefônica Vivo, que faz uma espécie de videoclipe e curta-metragem da música Eduardo e Mônica de Renato Russo e da banda Legião Urbana. Nesse primeiro vídeo, a história de um dos casais mais famosos da música brasileira é contada de maneira muito criativa. A sensação de quem viu o vídeo da Vivo e já conhecia a música, cantava a letra de cor com o acompanhamento do violão é a mesma de quem vê no cinema a adaptação de um dos seus livros prediletos. Os personagens Eduardo e Mônica passam por situações cotidianas engraçadas e vão quadro-a-quadro construindo a sua história de amor. Equipamentos tecnológicos como celulares, tablets, videogames interativos, modens de conexão de Internet 3G são incluídos na história, como promoção dos serviços da empresa e uma releitura contemporânea de um dos sucessos da música brasileira dos anos 1980. O curta-metragem da Vivo foi feito para uma campanha publicitária para o Dia dos Namorados de 2011, é um sucesso de exibições do YouTube e foi produzido pela O2 Filmes e Agência África, dirigido por Nando Olival. Confira:


O segundo vídeo criativo de narrativa temporal a ser recomendado para os leitores-internautas do blog Cultura Ciliar é um trecho do filme de animação Up! Altas Aventuras dos estúdios Pixar e da Disney. No filme, o viúvo e aposentado Karl Friederickson amarra balões na sua casa para realizar um dos seus sonhos de infância, que era compartilhado com a sua recém-falecida esposa Ellie. O explorador de aventuras Russell (um escoteiro ou boy scout), que queria fazer uma boa ação e ajudar um idoso, se junta a Karl nessa aventura de voar na casa-nave até alcançar o "paraíso das cachoeiras" numa floresta tropical. O segundo vídeo a seguir relaciona vários anos do casamento feliz de Karl e Ellie, de momentos como a cerimônia na igreja, os pique-niques no parque e o enxergar desenhos nas nuvens, ato típico de casais apaixonados. Apesar de ser feito para crianças, o filme lida com questões difíceis até para adultos, como uma gravidez interrompida por aborto espontâneo e a morte de Ellie, a companheira de Karl. Up! é um belo longa-metragem de animação, muito verdadeiro para com as fases que passamos na vida e a necessidade humana de acalentar projetos e sonhos da infância e da juventude. Confira:


Site oficial do filme UP! Altas Aventuras: http://www.disney.com.br/filmes/dvd/up/index.html

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Troco pra 22 - Curta metragem do Cariri

Realizamos um curta-metragem com apoio do projeto Verde Vida da cidade do Crato-CE, e fizemos o que seria o filme mais completo de ideias que queríamos há muito tempo, colocando os estereótipos cotidianos e meras homenagens ao cinema no modo geral. Nossa turma que tem Pedro Ernesto, Itamberg Henrique, Helyton Madruga Ferreira, Deisson Xenofoente, Juliana Pinheiro, Demetrius Silva, Kelson Cristiano, Sinara Xenofonte, Samara Xenofonte, Helena Xenofonte, Ibertson Medeiros, Patrícia Mendes, Job Saraiva, Geovany Brasil e Evandra Vieira transformou uma vontade quase impossível de se fazer cinema com bem menos que muitos acham possível.
A realização desse curta com todas as dificuldades existentes (tem que ter, né?), foi muito bom pra continuarmos com essa ideia de fazer cinema no nosso Cariri, que a cada dia cresce muito. Veja o filme dividido em duas partes e pra quem quiser baixar também, estão os links abaixo. Ah, não poderia esquecer do nosso querido Abidoral Jamacaru assinando a trilha sonora.









Link pra Download

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Férias na Casa da Vó - Marco Leonel Fukuda / Marília Passos


     
      Vídeo gravado em 11 de março de 2011 no SESC Iracema - Fortaleza - Ceará - Brasil
      Projeto Quanto Vale uma Canção? - produção de Alan Mendonça e Fabiano de Cristo

      Daniel Sombra - voz
      Ayrton Pessoa - acordeon
      Marco Leonel Fukuda - violão



Férias na Casa da Vó - Marco Leonel Fukuda / Marília Passos
Dedicado a Aparecida Alves da Silva (in memoriam)

E logo julho chegou                                                          Tomar banho bem cedo
Vou pra casa da vó                                                           e pentear cabelo
brincar de rolimã                                                               para desocupar
com meus primos-irmãos.                                                 pr'outro primo banhar.

Correr pelo quintal                                                           Vou brincar de pique-esconde,
e levar um sermão                                                            cabra-cega e pião
mas que vale o encontro entre as gerações                        vou arrumar os times de botão.
das nossas raízes, união.                                                            
                                                                                        Cabana de cobertor
Fim de ano passou                                                            pois chove no quintal
Férias na minha vó                                                            Histórias de terror
carinho e o calor                                                               E muitos causos contar.
uma bagunça só.                                                                      
                                                                                        Tão bom esse lugar
Tanto tempo levou                                                            tanta recordação
pra família juntar                                                               Antes do passeio
na varanda ou na sala de jantar                                         tinha que almoçar,
pra tirar uma foto com o vovô.                                          doce só depois da refeição.

- Mas menino, que arrumação!
  Essa bola vai nas minhas plantas!
  Um bom castigo, e eu te ensino...
- Tia Ana, não fui eu que fiz estrago no jardim...
   Foi o Paulinho que começou
   e agora não vou jogar lá fora...

__________________________________________________________

Confira também "Férias na Casa da Vó" na versão instrumental, no lançamento do CD "Nascente" de Marco Leonel Fukuda:

 Vídeo gravado no dia 13 de junho de 2010 no Foyer do Centenário Theatro José de Alencar, em Fortaleza.

Ficha técnica
Marco Leonel Fukuda - violão
Alex Vasconcelos - percussão
Lia Freitas - filmagem

terça-feira, 5 de julho de 2011

Música, Artes Visuais e Meio Ambiente - ilustrando a música


MUSIC PAINTING - Glocal Sound - Matteo Negrin from Smile Lab on Vimeo.


Esse vídeo é um belo exemplo de diálogo e de interação entre as linguagens artísticas. A ilustração complementa o que a música está comunicando, aproximando as artes visuais da música instrumental (que, por si só, já é rica em imagens acústicas). Lacrime di Giullieta, de Matteo Negrin, é acompanhada no vídeo das ilustrações dos artistas italianos Alice Ninni, Alberto Filippini e Luca Cattaneo. A partitura da música ganha vida, em sintonia com a sua execução no vídeo. Acordeon e violão dialogam, realizam contrapontos, perguntas e respostas melódicas, enquanto surgem desenhos entre as notas escritas na partitura. No ritmo suave de uma valsa, Lacrime di Giullieta é um passeio audiovisual com mensagens de cunho ecológico, como "deixe o seu carro e plante uma árvore" ou "pare o aquecimento global e aproveite a natureza".  Uma árvore é desenhada no improviso do intermezzo, que é a parte onde os músicos têm a liberdade de criar antes da repetição ou da volta do tema principal da música. Nesse vídeo, percebemos uma saída criativa para tratar de temas tão complexos e delicados que envolvem a ação predatória e insustentável do ser humano na natureza.

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

Fonte: Amenidades do Design / Chaves Papel
Link original do vídeo: http://chavespapel.com.br/?p=1694

Agradecimentos a Lucas Leonel Fukuda, por ter apresentado este belo vídeo, que sugeriu mais uma pauta do blog Cultura Ciliar - Conciliar a Natureza e a Cultura.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Quintessência - Quinteto de Violões

Quinteto de Violões Quintessência


O Quinteto de Violões Quintessência, do Conservatório de Música Alberto Nepomuceno (CMAN) de Fortaleza, realiza no mês de julho de 2011 uma temporada de apresentações de música de câmara para violões. O Teatro Celina Queiroz recebe o quinteto de violões em recital conjunto com o Quarteto Cearense na próxima quarta-feira, dia 6 de julho, às 20h, entrada franca. Na quarta-feira seguinte, dia 13 de julho, também às 20h, o Quintessência se apresenta no Auditório do Dragão do Mar pelo projeto Brasil Instrumental. O ingresso é ao preço popular de R$2 a inteira e R$ 1 a meia entrada para estudantes, para conferir música instrumental cearense de qualidade.

O Quintessência é coordenado pelo violonista e professor David Calandrine e tem como integrantes Andernísia Nascimento, Gilberto Brito, Jeffrey Cardonha, John Nascimento e Pedro Neto, violonistas e alunos do Conservatório Alberto Nepomuceno. O grupo foi formado em 2010 e sua pesquisa envolve música de diversos períodos históricos e de tendências estéticas, com execuções de peças originalmente compostas para essa formação de quinteto de violões ou com adaptações de arranjos para o conjunto.

O repertório da atual temporada de julho do quinteto contempla peças de Heitor Villa-Lobos, Francisco Mignone, Astor Piazzolla, Guinga, Mozart, além do antológico grupo britânico The Beatles.
Ouça Eleanor Rigby de John Lennon e Paul McCartney, interpretada pelo Quintessência:





SERVIÇO
Quinteto de Violões Quintessência
Temporada de julho 2011

Quarta, 6 de julho de 2011
às 20h
Teatro Celina de Queiroz - Universidade de Fortaleza (UNIFOR)
Entrada franca

Quarta, 13 de julho de 2011
às 20h
Auditório do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
R$2,00 / R$1,00

Links relacionados
1° FECEVI - Festival Cearense de Violão
Conservatório de Música Alberto Nepomuceno
Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura 
Quarteto Cearense - Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Cobertura Fotojornalística - O Cotidiano das Feiras de Fortaleza

A feira da Gentilândia em vários planos - Murilo Viana
Introdução
O projeto O Cotidiano das Feiras de Fortaleza é uma abordagem fotojornalística ampla do dia-a-dia nas feiras, os vendedores, a circulação de pessoas, os alimentos, as frutas, os legumes e as verduras, as condições de higiene, a forma de organização, o comportamento. Pretendemos focalizar, além das relações das pessoas com a feira, as expressões faciais delas, os estados de espírito, a satisfação de se fazerem presentes ali. A feira compreendida numa esfera maior do que o comércio, a compra e venda de mercadorias, na perspectiva de um espaço de convivência, de trocas simbólicas e de relacionamento humano. Realizamos, na pesquisa, foto-passeios no Mercado São Sebastião, no Mercado dos Pinhões, na Feira Agroecológica do Benfica, na Feira do Bairro de Fátima e na Feira da Gentilândia. Entrevistamos feirantes, fregueses e um fiscal de feiras livres da Prefeitura de Fortaleza.
Comprando quiabo - Marcella Macena
 
O projeto O Cotidiano das Feiras de Fortaleza foi realizado por Ana Célia, Clarissa Augusto, Marcella Macena, Marco Leonel Fukuda e Murilo Viana, estudantes do 3° semestre de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC). É um trabalho para a disciplina de Fotojornalismo I, com orientação do professor Elian Machado.

Reportagem
Ouça reportagem de áudio de Marco Leonel Fukuda sobre o Cotidiano das Feiras de Fortaleza:



  Bicicleta-gaiola do Eliseu - Marco Leonel Fukuda





Vivências na feira

Temos muitas histórias curiosas contadas na reportagem e pelas fotos a seguir.  Eliseu Alves, 69, transporta galinhas na sua bicicleta para vender na feira. Seu parâmetro de preços para as aves vivas é o seguinte: "A bonita é um preço, a mais feia é outro, a grande é outro preço e a menor é também."





Vicente Rocha, 85, aposentou-se mas segue trabalhando nas feiras da capital cearense. Adonias Pereira Barbosa, 62, é feirante há meio século e, espirituoso e engraçado, sempre diverte os seus clientes com seus pensamentos e provérbios bem-humorados. "Sou direito que nem cangalha em vaca", "Só não terminei a faculdade porque faltou tijolo, que eu era pedreiro", "cada local é um canto" se referindo à procedência dos produtos e a sugestão de comprar uma dentadura para uma espiga de milho julgada desdentada por uma freguesa são alguns momentos cômicos  do seu Adonias, feirante-humorista.
 Seu Adonias e as melancias - Marco Leonel Fukuda

Seu Vicente e a balança - Marco Leonel Fukuda













Valda Melo, 46, educadora e consumidora assídua das feiras, comentou na entrevista que a feira recupera uma atmosfera de interior e ainda se mantém como local de encontro entre as pessoas. Ela ressaltou o cheiro, a cor e alma dos alimentos, a sinestesia que permeia o ambiente das feiras. No supermercado a situação é completamente outra.  Segundo Valda, os alimentos se misturam com o plástico, com o industrial e não têm alma, perdendo inclusive o cheiro.  

Considerações finais
O Cotidiano das Feiras de Fortaleza foi um projeto de muito aprendizado, por termos encontrado o  elemento humano nas feiras, as cores vibrantes dos alimentos, pontos de vista distintos da experiência de ir à feira. O tema é inesgotável e inspirou esse trabalho de cobertura fotográfica, que seguiu numa perspectiva documental da fotografia, um viés fotojornalístico. Buscamos captar instantes em ângulos inusitados. Todas as fotos foram produzidas com câmeras digitais simples, resultado de foto-passeios em cinco feiras de Fortaleza. Observamos os ambientes, gravamos entrevistas, fotografamos, planejamos enquadramento, composição, iluminação, mas contamos não só com técnicas que  se aprende em sala de aula e na prática de campo, mas também com muita sorte. A fotografia e o jornalismo, como áreas da comunicação social lidam cotidianamente com o imponderável, com a dinâmica fluida da vida.



Guarda-sol e sacola de jiló - Marco Leonel Fukuda
     Seu Mardônio Vilela limpa peixes - Marco Leonel Fukuda


Caldo e suco são boa merenda - Marco Leonel Fukuda
É hora do café da manhã - Murilo Viana







Corredor do Mercado São Sebastião - Marco Leonel Fukuda
Pesquisa e texto: Marco Leonel Fukuda
Fotos: Marcella Macena, Marco Leonel Fukuda e Murilo Viana


Links Relacionados
Perfil Fotojornalismo UFC no Flickr
Projeto O Cotidiano das Feiras de Fortaleza - Flickr Fotojornalismo UFC

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Música e Rádio - Paisagem Sonora - 27/05/2011

A segunda edição do programa Paisagem Sonora foi veiculada às 13h no Centro de Humanidades Área 2 da UFC, na sexta dia 27 de maio de 2011. Continuamos no projeto de retomada da Radiadora, com o nosso programa musical, que é uma atividade radiofônica experimental, de reflexão acerca das conexões entre a música e a comunicação.

Produzir uma pauta de um programa radiofônico de música, elaborando o roteiro de uma seleção musical é tarefa muito semelhante aos processos criativos de composição. É mantida a ideia de reunir fragmentos musicais, articular ideias sonoras, que formam uma narrativa. O programa musical de rádio tem de ser concebido também como uma obra cultural, criada pelo ser humano como prática cotidiana de comunicação. A sequência de músicas selecionadas e compartilhadas com os ouvintes é um discurso complexo, uma história sendo contada com várias partes, com vários movimentos. E música é também informação, por trazer consigo significados sonoros em diversas camadas, criando imagens acústicas em nossas mentes, além da carga contextual de período histórico, de tendências estéticas, da criatividade humana presente no conteúdo musical. Essas são algumas anotações de pensamentos e reflexões que fazem parte dos bastidores, do processo de produção do projeto Paisagem Sonora. Ouça a segunda edição do nosso programa:






___________________________________________________________________

Roteiro do programa Paisagem Sonora - (Radiadora UFC) - 27/05/2011

Produção e apresentação: Marco Leonel Fukuda
Apoio: PETCOM UFC

Música - compositor(es) - intérprete(s)

1. Caminho de Luz - Pingo de Fortaleza - Pingo de Fortaleza e Orquestra de Câmara do SESI Ceará
2. Anabela - Mário Gil e Paulo César Pinheiro - Consuelo de Paula
3. Ponteio - Edu Lobo e Capinam - Edu Lobo, Marília Medalha e Momento Quatro
4. Aqui quase o bastante - Luiz Piquera - Coro e Osso
5. Those sweet words - Lee Alexander e Richard Julian - Norah Jones
6. 24 de junho - Carlos Hardy - Carlos Hardy
7. While my guitar gently weeps - George Harrison - Quarteto Maogani
8. Libertango - Astor Piazzola - Yo Yo Ma
9. Vidas Volantes - Pedro Fonseca e Fábio Marques - Breculê
10. Correnteza - Luiz Bonfá e Tom Jobim - Djavan
11. Sonho de Magia - João Pernambuco - Leandro Carvalho
12. Frevinho Carioca - Altamiro Carrilho - Zezo Ribeiro
13. Anima - Milton Nascimento e Zé Renato - Milton Nascimento com participação especial do grupo UAKTI
14. Felicidade - Marcelo Jeneci e Chico César - Marcelo Jeneci com participação especial de Laura Lavieri
15. Caminho das Águas - Rodrigo Maranhão - Maria Rita

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Música e Rádio - Paisagem Sonora - 20/05/2011

No ar, agora pelas ondas virtuais da internet, a primeira edição do programa Paisagem Sonora na Radiadora - A rádio dos estudantes de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC). Produção e apresentação é de Marco Leonel Fukuda, com apoio do PETCOM. Foi a experiência inicial de um programa de música com uma proposta de apreciação musical compartilhada para ouvidos pensantes. Tanto o conceito de paisagem sonora (soundscape) e de ouvidos pensantes são do teórico canadense R. Murray Schafer, da reflexão sobre os sons que nos rodeiam o imaginário, que compõem a cultura e formam uma analogia com o que no inglês se expressa por landscape, uma visão de um horizonte sonoro, de contornos melódicos, da presença da música (nos mais diversos aspectos).

A primeira transmissão de Paisagem Sonora foi na sexta passada, dia 20 de maio, direto do Centro de Humanidades Área 2 (CH2) no Campus Benfica da UFC. A proposta é continuar o programa todas as sextas, das 13h às 14h, no intervalo do almoço antes das aulas do período da tarde. Ouça a primeira edição do programa Paisagem Sonora:


_______________________________________________________________

Roteiro do programa Paisagem Sonora - (Radiadora UFC) - 20/05/2011

Música - compositor(es) - intérprete(s)

1. O Trenzinho do Caipira - Heitor Villa-Lobos - Orquestra Sinfônica Brasileira
2. Do amor - Tulipa Ruiz - Tulipa Ruiz
3. Lamento Sertanejo - Gilberto Gil e Dominguinhos - Gilberto Gil
4. Jongo - Paulo Belinati - Jaime Ernest Dias e Matheus Caetano
5. Ponto de Encontro - Milton Nascimento e Zé Renato - Zé Renato e Renato Braz
6. Nuovo Cinema Paradiso - Ennio Morricone - Trilha sonora do filme "Cinema Paradiso"
7. O Cantador - Dorival Caymmi e Nelson Motta - Elis Regina
8. Eu tô lá no mar - David Duarte - David Duarte
9. Apanhei-te cavaquinho - Ernesto Nazareth - Orquestra de Violões de Brasília
10. Cavalo Marinho - Juarez Moreira e Simone Guimarães - Consiglia Latorre
11. Folia dos Reis Magos - Marco Antônio Guimarães - UAKTI
12. Futuros Amantes - Chico Buarque - Chico Buarque
13. La Valse D'Amélie - Yann Tiersen - Trilha sonora do filme "O fabuloso destino de Amélie Poulain"
14. Teia de Renda - Nonato Luiz e Túlio Mourão - Nonato Luiz e Túlio Mourão
15. Santa Morena - Jacob do Bandolim - Hamilton de Holanda
16. Quartzo Verde - Marcos Maia - Quarteto de Violões da UFC

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

domingo, 15 de maio de 2011

Música e Rádio - Por Uma Cultura de Paz - 01/02/2011




Uma sugestão para a leitura desta postagem é colocar o áudio para tocar antes de começar a ler.


Programa Por Uma Cultura de Paz
Rádio Universitária FM - 107,9 MHz
Fortaleza, 1° de fevereiro de 2011.
Produção e Apresentação: Marta Aurélia
Operação de áudio: Carlos Augusto Lima
Co-produção e Colaboração: Marco Leonel Fukuda

Essa é a ficha técnica do programa "Por Uma Cultura de Paz" do dia 1° de fevereiro deste ano, na Rádio Universitária FM da Universidade Federal do Ceará (UFC). Tive o prazer de ser colaborador na elaboração da seleção musical do programa da Marta Aurélia, que vai ao ar de segunda a sexta às 15h. O desafio era fazer a escolha de uma lista de músicas para um programa de rádio, meio de comunicação acompanhado por milhares de pessoas. Essa sequência de músicas deveria misturar peças instrumentais e canções (os instrumentos musicais e o canto têm cada qual a sua voz, a sua fala), uma seleção dialógica para cativar o ouvinte e que - importantíssimo - não fosse só baseado em minhas predileções pessoais ou no que "faz sucesso". O cardápio sonoro precisa ser variado para que a degustação dos ouvintes seja a mais diversificada possível. Os ouvintes devem ser tratados como ouvidos pensantes, como ensina o compositor e teórico canadense R. Murray Schafer. A proposta do programa também é de tecer comentários sobre as músicas, conversar sobre as composições, os compositores, as experiências sonoras, para dividir informações com os ouvintes. A partir disso, todos os envolvidos no fazer radiofônico (produtor, locutor, operador de áudio, ouvinte) têm a oportunidade de escutar, de apreciar com mais profundidade o conteúdo musical veiculado.

____________________________________________________________________

Comentários sobre o programa Por Uma Cultura de Paz do dia 1° de fevereiro de 2011
Após a vinheta de abertura do programa, o violonista e compositor Canhoto da Paraíba interpreta de sua autoria a peça instrumental Pisando em Brasa, com citações ao frevo Vassourinhas (Matias Rocha/Joana Batista), ao choro Tico-tico no Fubá (Zequinha Abreu), à toada-baião Asa Branca (Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e ao choro Um a Zero (Pixinguinha). A cantora Zizi Possi inaugura a parte vocal, cantando Bom Dia, de Swami Junior e Paulo Freire.

O Trenzinho do Caipira, tocata da Bachianas Brasileiras n° 2, de Heitor Villa-Lobos e Drifting do violonista norte-americano Andy McKee foram as peças instrumentais escolhidas para o BG (background, o fundo musical do programa, para marcar transições de quadros e ilustrar a fala).

Lenine sucede Zizi com O Marco Marciano, bela música construída em versos de cordel e entoada por viola caipira. O grupo mineiro UAKTI, um dos mais importantes da cena brasileira de música instrumental, apresenta Tema e Variação I sobre Águas de Março de Tom Jobim. O grupo Encontros Casuais apresenta E hoje o trem partiu, de Carlos Hardy e Wagner Mineiro, bela canção da recente safra da música autoral cearense, seguida por mais um trecho de O Trenzinho do Caipira de Villa-Lobos.

Depois do intervalo para o boletim de notícias, tocam o prefixo central da emissora e a vinheta característica do programa Por Uma Cultura de Paz. O programa volta do intervalo com música instrumental: escolhemos La Valse d'Amélie do compositor francês Yann Tiersen, trilha sonora do filme O Fabuloso Destino de Amélie Poulain. Rain do compositor japonês Ryuichi Sakamoto segue a sequência instrumental.

Felipe Breier interpreta Brincadeira de Alan Mendonça e Lenine Rodrigues, música que fala com ternura sobre a infância e integra, junto com E hoje o trem partiu, o repertório da coletânea Bora! do movimento Ceará Autoral Criativo, para valorizar a produção contemporânea local. Consiglia Latorre canta Alguém Total, de Dante Ozzetti e Luiz Tatit, música que também fala de carinho, de sentimentos amorosos. Voz e violão se encontram em Alguém Total de uma forma tão peculiar e delicada. O trem (mais uma vez trechos de O Trenzinho do Caipira), que é símbolo da cultura de Minas Gerais, também introduz a voz de Milton Nascimento, que canta Dança dos Meninos, de Marco Antônio Guimarães (UAKTI) e de Milton. A voz e a viola de Almir Sater sucedem Milton, com Ana Raio e Zé Trovão. Na continuação, a voz de Mônica Salmaso faz o solo da introdução de Você, você de Chico Buarque e Guinga, na interpretação do próprio Chico Buarque, música que encerra a seleção musical do programa.

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

sábado, 14 de maio de 2011

Cartaz de arte gráfica estilo Mondrian

Arte do cartaz: Marco Leonel Fukuda

Esse cartaz é resultado de uma atividade proposta na aula de Planejamento Gráfico, do professor Luis Sérgio Santos, disciplina do 3° semestre do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC). O projeto foi elaborado por meio de caixas retangulares com cinco cores básicas aplicadas (branco, preto, amarelo, azul e vermelho) no software Adobe InDesign.

O InDesign é um programa utilizado principalmente para a diagramação eletrônica de publicações editoriais impressas, de projetos gráficos para livros, jornais e revistas.


O cartaz possui um aspecto de tapeçaria, e segue o estilo do artista holandês Mondrian (1872-1944), que utilizava essa lógica de alinhamento de blocos retangulares e paleta básica de cinco cores em muitos dos seus trabalhos para a revista De Stijl. As obras de Mondrian tiveram repercussão no design e na arquitetura do século XX.

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo

terça-feira, 10 de maio de 2011

Borandá Brasil, convida o Coral da UFC



O texto original desta postagem foi perdido no "apagão" do Blogspot dos dias 12 e 13 de maio de 2011. Esta segunda versão é baseada exclusivamente pela memória.

Borandá Brasil, convida o Coral da UFC
O Coral da Universidade Federal do Ceará apresenta a 2ª temporada do espetáculo cênico-musical Borandá Brasil nos três últimos finais de semana de maio no Teatro do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza. Em Borandá Brasil, o Coral da UFC é uma trupe circense, que leva o público a um passeio itinerante pelo cancioneiro da música brasileira. O convite é para navegarmos pelas trilhas sonoras dos interiores do Brasil e dos brasileiros, apreciando o
canto coletivo que fala da formação da nossa pátria.

Um dos desafios do coral é interpretar as canções enquanto se movimenta pelo picadeiro em que é transformado o palco do Teatro Dragão do Mar. O cenário é uma alta lona de uma tenda de circo, e o público é envolvido em uma atmosfera sonora e lúdica de sonho, fantasia e magia. Truques de mágica são executados ao vivo e a plateia se surpreende, os presentes reavivam a curiosidade de sua criança interior. O trabalho musical do Borandá, como muitos carinhosamente se referem a esse projeto-espetáculo, dialoga com as linguagens artísticas do teatro, da dança, do circo, da cenografia, da iluminação, da maquiagem, do design de figurino. Borandá Brasil é mais um projeto do cinquentenário Coral da UFC (fundado em 1959) em que é realizada uma pesquisa abrangente na linha de coro cênico. O trabalho desenvolvido busca uma alternativa contemporânea para a tradicional formação de coral europeu. É um grupo de cantores que está em cena e não está parado, segurando comportadamente pastas com partituras das peças cantadas. Flauta, violão e percussão são os instrumentos musicais complementares, utilizados para afinar os cantores e dar apoio harmônico e rítmico às vozes do coral.

Sendo um coral misto (em que vozes masculinas e femininas atuam juntas), o Coral da UFC possui a formação da tetrafonia clássica, herdada da música europeia, do coro dividido em quatro naipes, as quatro vozes ou classificações vocais soprano, contralto, tenor e baixo (coro SATB).



Repertório
O repertório de Borandá Brasil é envolvente e diversificado, traz à tona a brasilidade, o sentimento de pertença, a valorização das identidades culturais do povo brasileiro. No espetáculo, ouvimos as sonoridades das raízes culturais do nosso país. O repertório integra as músicas indígena, regional nordestina, europeia e africana. Borandá de Edu Lobo e Procissão da Chuva de Cacilda Borges Barbosa e Wilson Rodrigues falam da seca do Nordeste brasileiro, do sertanejo que reza pedindo chuva e são músicas que tocam a alma pela sua beleza e sensibilidade. Jogo de Angola de Paulo César Pinheiro representa a contribuição cultural dos negros, a matriz africana e aborda a escravidão, o batuque, a capoeira. Cunhataiporã de Geraldo Espíndola apresenta o canto ritualístico indígena, os sons da mata, e é uma viagem em que todos estão à bordo de uma canoa descendo o rio Paraguai.

O coral interpreta Construção de Chico Buarque, seguindo as exigências de precisão métrica e complexidade estrutural da obra, momento emocionante que põe a plateia em estado de suspensão. Outra música de um contexto mais urbano é Tropicália de Caetano Veloso, canção de cunho político, de resistência ao autoritarismo do regime militar no Brasil. No arranjo de Tropicália, o coral faz sons vocais imitando guitarras elétricas distorcidas. Outras surpresas no programa já são conhecidas de quem já foi, que tem este mês a oportunidade de rever o Coral da UFC e convidar quem ainda não assistiu ao Borandá Brasil.

A atual temporada é uma releitura da primeira montagem de Borandá Brasil de 2004. Em 2005, o coral fez uma turnê pela Alemanha. Após essa temporada nos três últimos finais de semana de maio, o Coral da UFC fará uma turnê em novembro de 2011 no interior de São Paulo e na Austrália.

Serviço:
Coral da UFC apresenta Borandá Brasil -
Teatro Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura
Únicas apresentações nos dias 14, 15, 21, 22, 28 e 29 de maio de 2011.
Horário: 20h15min
Ingressos: R$14,00 / R$7,00
Mais informações no site oficial: www.coral.ufc.br
pelo twitter: @coraldaufc

Entrevista da seção Artista da Semana com o Coral da UFC - Site da Rádio Universitária FM:
http://www.radiouniversitariafm.com.br/oktiva.net/2213/nota/157824

Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo



quinta-feira, 28 de abril de 2011

Sobre o que escrever num blog




Sobre o que escrever num blog? Essa é uma das primeiras perguntas que os aspirantes a blogueiros fazem a si próprios, quando estão concebendo o projeto de um blog. Sim! Um blog é um projeto, minha gente, pois exige constância, gosto pela escrita, criatividade, curiosidade, reinvenção, dedicação, assuntos, inspiração, transpiração, manutenção, disciplina, hábito para postar conteúdo, atualizar e alimentar a sua página.

É que vai chegando o final do mês, a gente espera pelo salário, pela bolsa estudantil, pela mesada dos pais (tudo em épocas apropriadas da vida, óbvio, não vamos misturar essas fases)... Quem é blogueiro observa, evidentemente, a produção mensal do seu blog, se a proposta é diária ou semanal. Ou pode ainda acontecer de não sermos blogueiros assíduos (ou de não conseguirmos também postar com a frequência que desejamos), e tornemos bimestrais, trimestrais, semestrais ou anuais as edições das nossas páginas eletrônicas.

Se o blogueiro viu que não postou nada no mês inteiro, costuma ficar preocupado com o baixo rendimento de sua produção textual. Analisa as estatísticas das visitas, quais os textos que foram os mais lidos, o que teve de maior repercussão no conteúdo postado, se há comentários por serem moderados.


No caso do blog Cultura Ciliar, o mês de abril de 2011 acumulou muitas pautas que não foram devidamente publicadas, apreciações críticas de programação cultural que restaram como esboços em cadernos, trabalhos sonoros (de rádio e de música) que ainda estão sendo editados ou que só falta mesmo fazer o upload, textos opinativos diversos que ainda não se concretizaram. Muita energia na produção e na realização de pautas foi direcionada para o curso de jornalismo, e a partir desse semestre, o nosso blog tem discutido mais sobre mídia, comunicação relacionados com a cultura.

Diferente de janeiro e fevereiro, meses de alta estação aqui no Ceará, um período de férias, portanto muito produtivo em postagens do Cultura Ciliar, estamos na encruzilhada da metade do primeiro semestre deste ano. Talvez em julho próximo, consigamos mais tempo para retomar a boa produtividade das épocas de férias. Estágio, trabalhos acadêmicos da faculdade, produção de carreira artística se alternam numa balança de equilíbrio bastante tênue e complexa. É o desafio de administrar as tantas atividades que as juventudes de hoje possuem. São as tarefas, as obrigações, os compromissos, as ocupações que assumimos, os papeis que desenvolvemos na vida atual. Como estamos ocupando o nosso tempo? Como estamos preenchendo os nossos horários? Como inserir o blog no nosso cotidiano tão corrido, de prazos curtos, de imediatismo e de individualismo?


A partir disso, abrimos uma via de reflexão para a escrita eletrônica em blogs, como um exercício periódico de escrita online, de geração contínua de informações nas plataformas virtuais. Não possuímos a pretensão de esgotar esse tema tão vasto, claro, mas de apresentar algumas considerações a respeito dessa prática de escrita em blogs. Permitimos o espaço para explicitar as perguntas e os questionamentos que muitos de nós blogueiros nos fazemos todos os dias, de discutirmos possibilidades do escrever em blog, alguns caminhos do que compartilhamos pela nossa escrita. O que nos serve como apoio, como referência é um ano do blog Cultura Ciliar, na busca pela identidade própria do nosso blog como veículo de comunicação, como mídia alternativa, nos textos passados, mas também nas experiências mais recentes de convergência de mídias, das interações entre textos e imagens, de arquivos de áudio agora disponibilizados.


Das perguntas que os blogueiros se fazem nessa prática de administrar, de manter o seu blog, as relacionadas às temáticas de suas postagens são, sem dúvida, as mais frequentes - Afinal, sobre o que escrever num blog? Lamento dizer que não tenho a resposta definitiva, pessoal. Tenho só algumas conclusões pessoais, o que os meus pensamentos e o meu intelecto conseguem elaborar.

A concepção é o ponto de partida, é a hora que decidimos sobre o que escrever inicialmente. São tantas opções, como manter a função de diário virtual (meu querido blog, hoje eu... função originária dos blogs), de textos literários (poesia e prosa), de textos opinativos, de pautas de agenda cultural, entre tantos outros formatos. No caso da gestação do projeto do blog Cultura Ciliar, a ideia era discutir assuntos em que cultura e meio ambiente tenham convergência, diálogo. No decorrer de um ano que temos feito experimentações de textos, de abordagens de assuntos, e esse é um processo que ainda está em curso. É um desafio escrever sobre coisas tão complexas, ainda mais porque a dinâmica da vida está sempre trazendo acontecimentos novos, e não dá para acompanhar tudo que a mídia publica sobre esses assuntos, principalmente o jornalismo diário, massivo, tendencioso. Mas podemos intervir nas lacunas, nas omissões da mídia tradicional, escrevendo por meio de outros ângulos, apresentando novas perspectivas.

Escrever em blogs é fundamental, principalmente para quem acredita na democratização da informação e se prepara para atuar na sociedade como comunicador, artista, intelectual engajado, cidadão. É nesses princípios que encontramos motivação para seguir escrevendo, para tentar transmitir experiências comunicáveis, compartilhar conhecimento, visões de mundo, sensações (sem sensacionalismo, por favor, agora um trava-língua). Essas são algumas notas que partem de um blogueiro-músico (parafraseando o título do livro Outras Notas Musicais de Arthur Nestrovski) sobre a escrita nessa plataforma virtual, que está sempre se reinventando e se redescobrindo, assim como nós, seres humanos, nessa vivência permanente da comunicação.


Marco Leonel Fukuda
Músico e estudante de Jornalismo


Fontes das imagens:
www.balaiodaivania.blogspot.com
www.osabetudo.com
www.dignow.org
www.compartimentosecretopara.blogspot.com

quinta-feira, 31 de março de 2011

Rádio - Notícias Radiofônicas



Notícias Radiofônicas - Roteiro

Atividade de radiojornalismo, de texto para rádio (roteiro) e apresentação (locução) de noticiário radiofônico proposta pelo professor Nonato Lima, na disciplina Introdução às Técnicas Jornalísticas - Módulo de Rádio, no 3° semestre do curso de Comunicação Social / Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Gravado no Laboratório de Rádio do Curso de Comunicação Social da UFC.
Fortaleza, 30 de março de 2011.

1. A exposição “Rabecas: Luteria e Performance” do fotógrafo Francisco Sousa e curadoria de Gilmar de Carvalho está em cartaz até o próximo sábado, 26 de março, no Espaço Cultural Correios. A exposição traz fotografias de mestres rabequeiros de várias regiões do estado do Ceará, nas suas práticas de construção artesanal de rabecas e de performance desse rústico e tradicional instrumento musical. Rabecas construídas de matérias-primas inusitadas como panelas velhas e canos de PVC também integram o acervo da exposição. “Rabecas: Luteria e Performance” pode ser visitada pelo público de segunda a sexta de 8h às 17h, e aos sábados de 8h ao meio-dia, na rua Senador Alencar, número 38, no Centro de Fortaleza. Mais informações pelo telefone: código de área (85) 3255-7263. Repetindo, 3255-7263.

2. A Segunda Semana de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará, evento promovido pelo Programa de Educação Tutorial do Curso de Comunicação Social da UFC – PETCOM -, acontece entre os dias 4 e 8 de abril de 2011. Em 2010, ano da primeira edição do evento, as palestras foram direcionadas para os campos de atuação do Jornalismo, como assessoria de imprensa, radiojornalismo, jornalismo impresso, telejornalismo e fotojornalismo. A proposta para 2011 é concentrar nas editorias, nas seções temáticas do Jornalismo especializado como jornalismo político, econômico, esportivo, cultural e literário. A realização da Segunda Semana de Jornalismo da UFC coincide com a comemoração do dia do Jornalista, celebrado no dia 7 de abril. No encerramento do evento, no dia 8 de abril, o premiado livro-reportagem Histórias do Beco da jornalista Mayara Araújo terá sessão de lançamento, às 19h, no Museu de Arte da UFC – MAUC. Mais informações no site www.semanadejornalismo.ufc.br, pelo perfil do twitter @petcomufc ou ainda presencialmente na sede do PETCOM no Centro de Humanidades área 2 – Campus Benfica da Universidade Federal do Ceará.

3. A atriz, cantora e bailarina Soledad Brandão apresenta nova temporada do projeto “O Circo dos Beatles” em Fortaleza. “O Circo dos Beatles” é um trabalho que reúne as linguagens do teatro, da música e do circo, a partir das composições do famoso grupo musical britânico The Beatles, o quarteto dos garotos de Liverpool. Para essa nova temporada, Soledad Brandão e sua trupe de atores e artistas circenses reforçam o convite para levar o público a uma viagem de circo, fantasia, magia e psicodelia. “O Circo dos Beatles” terá duas sessões previstas para o próximo final de semana em locais diferentes. Na sexta-feira, dia 25 de março, às 20h, no SESC Iracema (na Rua Boris, número 90, Praia de Iracema), pela Semana de Artes Cênicas do SESC, e no domingo, dia 27 de março, às 18h, no palco principal do Theatro José de Alencar (na Praça José de Alencar, sem número, Centro), pelas comemorações do Dia Mundial do Teatro e do Circo. A entrada é franca para as duas apresentações. Mais informações pelo site da produtora cultural Tembiú – Alimento de Alma: www.tembiu.pro.br

Produção e apresentação: Marco Leonel Fukuda


Marco Leonel Fukuda

Músico e estudante de Jornalismo da UFC.